A história do TABLET

Para o público em geral o primeiro tablet surgiu em 2010, quando a Apple lançou o iPad, entretanto já tinham existido vários projetos para a produção de um dispositivo eletrônico que aliasse as características de um computador portátil convencional, com o benefício de não ser necessário um teclado para proceder à escrita. As primeiras tentativas da criação de um tablet fracassaram, pois ainda não existia tecnologia suficiente que permitisse produzir um dispositivo à altura do sonho. O conceito de tablet que temos atualmente, deve-se sobretudo à evolução tecnológica, que permitiu produzir produtos verdadeiramente diferenciados e de destaque no mercado.41763805_125252796531

A primeira pessoa a desenvolver um mecanismo capaz de reproduzir a escrita manual de uma máquina para outra foi  Elisha Grey, no século XIX. Tal descoberta abriu portas para o avanço tecnológico na área da comunicação, que futuramente permitiu a criação de Tablets e diversos outros dispositivos.

 

A tecnologia sempre foi uma Dynabook, o primeiro protótipoobsessão para os seres humanos, e no século XX, vários computadores portáteis semelhantes ao tablets foram criados. Em 1968 Alan Kay desenvolveu o Dynabook, uma espécie de caderno digital.

 

Já a Apple criou o OLYMPUS DIGITAL CAMERA, gadget no qual o usuário podia fazer desenhos no aparelho e passá-los para o computador.

 

 

Em 1989, foi criado o primeiro tablet da história, pela Grid Systems (GridDpad Pen Computer). O GriDpad, tinha modem interno, conectores para teclados e drives para disquetes, tudo o que um computador da época tinha e ainda possuía uma bateria interna que durava mais de 3 horas.gridpad-right

Da mesma forma que vemos hoje, com o lançamento de um aparelho tão relevante para as pessoas, diversos fabricantes passaram a fabricar dispositivos semelhantes, que eram chamados na época de Slate Computers.

Em 1993 a Apple lança o Hyppe com o Newton, que se tornou posteriormente um dos maiores fracassos da marca, pois foi considerado por muitos um dispositivo desenquadrado para os utilizadores da época, devido sua tecnologia avançada, mas por conta das suas dimensões iniciou o processo do PDA (personal digital assistant).

newton-pen

Em 1994 foi apresentado pela Knight Riddepen computrsr, uma empresa de mídia americana, como a companhia percebia o futuro dos jornais. No conceito da empresa, os jornais seriam lidos através de um aparelho com tela touchscreen e que teria o tamanho de uma revista convencional. Um ano depois chegou o Pen Computers. O aparelho que reconhecia a escrita funcionava mal, além disso tinha limitações de processamento e sua memória interna e tamanho o transformou em agendas eletrônicas com touchscreen.

A partir daí os avanços tecnológicos foram crescendo em escala geométrica. Já em 1996 surge o Palm Pilot e foi um sucesso no mercado. Graças ao seu bom hardware e ao sistema Graffitti de entrada de caracteres. Com o sucesso absoluto, várias outras marcas começaram a vender modelos semelhantes ao Palm Pilot, mas não demorou muito para que essa ascensão rápida, tivesse uma queda mais rápida ainda.

Com o surgimento dos Smartphones e principalmente com a popularização desse tipo de device, os PDAs passaram e ser obsoletos, já que não tinham autonomia com a internet, ou seja, sempre dependiam de fontes externas e principalmente não faziam ligações telefônicas.

Até 2001, nada diferente surgiu no mundo dos Tablets, foi quando a Microsoft lançou o Tablet PC, mas seu fracasso era iminente. Mesmo com um design apelativo e com o sistema operacional Windows XP a aceitação do público foi baixa, principalmente devido ao seu alto custo de aquisição. Dessa forma o Tablet PC era mais um conceito do que propriamente um device para utilização pessoal.

Entre 2003 e 2005 várias marcas tentaram entrar no mercado de Tablet, a Compact TC1000 em 2003 e em 2005 a Nokia com o Maemo, que tinha como software o Linux e ainda privilegiava o acesso à internet, ouvir músicas e ler e-mails.

Em 2006 a Microsoft, persistiu na sua ideia de ter um tablet e lançou o Origami, entretanto os preços continuavam altos e a tentativa foi mais um fracasso.

No anos de 2009 a empresa Axitron, que comprava notebooks Apple, os desmontava e remontava os componentes em outro chassi, apareceu com uma novidade no mercado, o Madbook Pro. Esse aparelho foi baseado nos processadores do MacBook Pro e com processadores Intel, tinha uma tela de 15” e era sensível a vários níveis de pressão da canetas e também dos dedos, além disso o aparelho era fino e elegante. Esses aparelhos caíram no gosto dos ilustradores, mas devido ao preço, em torno de 5 mil dólares, a utilização pessoal não era viável.

Depois de todas as tentativas frustradas da concorrência, a Apple, em 2010, lança o IPAD, mas isso é história para outro post.

Até a próxima.

Para saber mais sobre esse tema, acesse os links: História de Tudo ; Informatica Simples ; Tec Mundo ; Blog do Paz

Para saber mais sobre nossas fontes de dados clique nesse link

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s